Google responde às acusações de anticompetitividade da União Europeia

O Google tem sido constantemente acusado pela União Europeia de ser anti-competitivo. Em abril, a empresa foi formalmente acusada de usar sua posição de mercado para diminuir o alcance de concorrentes e favorecer seus próprios produtos e de anunciantes que pagam para que seus sites sejam mostrados acima dos outros resultados.

Nesta quinta-feira, 27, a empresa divulgou uma mensagem em seu blog afirmando que discorda das alegações do bloco econômico."Não achamos que este formato é anti-competitivo. Pelo contrário, mostrar anúncios baseados em dados estruturados fornecidos pelos comerciantes comprovadamente melhora a qualidade do anúncio e torna mais fácil para os consumidores encontrar o que estão procurando", explicou Kent Walker, membro do conselho da companhia.

A comissão do bloco acusa o site de pesquisas de desviar o tráfego de lojas, priorizando, por exemplo, o Google Shopping. "O tráfego vindo do Google em sites de compras tem crescido bastante nos últimos anos. Ao longo da última década, o Google entregou mais de 20 bilhões de cliques gratuitos a serviços de compras concorrentes, como Amazon, eBay, e serviços de compras locais", explica o executivo. "Nosso motor de buscas é projetado para fornecer os resultados mais relevantes e anúncios mais úteis para qualquer consulta", argumenta.

Caso seja considerada culpada, a empresa pode ter que pagar uma multa de até 10% de sua receita anual.

Fonte: olhar digital

Nenhum comentário